Please reload

ENERGIA GEOTÉRMICA - UMA ALTERNATIVA CONTRA A MUDANÇA CLIMÁTICA

19 Dec 2017

 

 A mudança climática é uma das mais graves consequências  da irresponsabilidade humana em relação ao meio ambiente,  e também uma das maiores preocupações dos países dispostos a mudar o quadro alarmante de desastres "naturais" causados pelo aquecimento global e o efeito estufa.  No documentário DEMAIN, o economista  Jeremy Rifkin, explica que o uso excessivo dos combustíveis  fósseis como base da civilização, provocou uma enorme retenção de CO2 na atmosfera,  o metano junto com o óxido nitroso por sua vez  impedem que o calor do sol volte para a atmosfera, o que acaba ocasionando a mudança climática e a alteração no ciclo de água do Planeta,  provocando asism, tsunamis, nevascas mais violentas, inundações na primavera, tufões mais fortes etc.

 

 Ainda segundo Jeremy Rifkin, estamos no sexto evento de extinção da Terra, houve apenas 5 eventos como esse em 450 milhões de anos. A principal saída para esse grave problema é substituição dos combustíveis fósseis por fontes de energia limpas. A energia geotérmica é uma delas. Considerada uma das energias mais limpas e fiáveis  entre as opções de energias renováveis utilizáveis, a energia geotermal é obtida a partir do calor proveniente do interior do planeta Terra. O calor é trazido para perto da superfície, devido a movimentos da crosta terrestre, por intrusão de magma fundido e pela circulação de águas subterrâneas formando reservatórios de água quente sob grande pressão.

 

 Foram desenvolvidos três modos de usufruir desse calor para a geração de eletricidade: Pela utilização direta de reservatórios, pelas centrais geotérmicas por meio de perfuração de poços de modo a alcançar os reservatórios e por Bombas Geotérmicas de Calor (BGC). Entre as principais vantagens do uso desse tipo de energia estão: A pequena quantidade de solo necessário para construir centrais geotérmicas; entre outros tipos de fontes de energia renováveis, como energia eólica ou da energia solar, a energia geotérmica pode ser utilizada para a produção de eletricidade 24h/dia; os baixos custos de administração e a energia geotérmica é praticamente inesgotável. No arquipélago dos Açores, devido à sua localização na fronteira de placas, a exploração de energia geotérmica é uma das mais desenvolvidas. Existem centrais instaladas nas diversas ilhas e contabilizam uma potência anual de 235,5 MW.

 

 Contudo, a cidade de Reykjavik, na Islândia, uma das mais limpas do mundo em emissões de dióxido de carbono, é a que tem o maior sistema de aquecimento geotérmico do planeta. Após a crise de petróleo nos anos 70, a Islândia criou uma estratégia para não depender mais de combustíveis fósseis, hoje, segundo Gudni Jóhannesson, autoridade nacional de energia da Islândia, o país é 100% autossuficiente graças à energia hidroelétrica e energia geotérmica. No documentário DEMAIN, Gudni Jóhannesson mostra também o sistema de iglus e o duto que sai das montanhas e vai para a usina elétrica da cidade, de 300 megawatts, responsável por produzir eletricidade e água quente para a toda a cidade de Reykjavik. A posição geográfica da cidade é crucial para o sucesso na produção de energia geotérmica, o que acaba dificultando e até a impossibilitando a implementação desse tipo de energia em outras regiões.

 

 Muitas vezes as cidades tomam a frente de ações sustentáveis que acabam se tornando exemplo dentro e fora do país. Da mesma maneira funciona quando empresas se posicionam de modo a incorporar valores sustentáveis, conscientizando a comunidade em que estão inseridas e outras instituições. Pensar em iniciativas que possam evitar a emissão de gás carbônico é responsabilidade de todos os setores da sociedade, a mudança climática é um problema de todos, que requer soluções urgentes.

 

O documentário DEMAIN, em português AMANHÃ, está disponível no Netflix.

 

Share on Facebook
Please reload

Voltar para o início