Please reload

33 ANOS DOS DIREITOS DE SER HUMANO

8 Dec 2017

 

 Dia 10 de dezembro, domingo, é celebrado o Dia Internacional dos Direitos Humanos. A data foi instituída em 1950, dois anos após a ONU adotar a Declaração Universal dos Direitos Humanos como marco legal regulador das relações entre governos e pessoas. Os 30 artigos, juntos, consistem em um dos principais documentos da ONU e foi assinado por 58 Estados, que tinham como objetivos promover a paz e preservar a humanidade após os conflitos da 2ª Guerra Mundial, que vitimaram milhões de pessoas. Elaborada por representantes de diferentes origens jurídicas e culturais de todas as partes do mundo, a Declaração foi proclamada pela Assembleia Geral da ONU em Paris e estabelecia, pela primeira vez como uma norma comum a ser seguida por todos os povos e nações, a proteção universal dos direitos humanos. Os Direitos Humanos incluem o direito à vida e à liberdade, à liberdade de opinião e expressão, o direito ao trabalho e à educação, entre muitos outros.    

 

 Sendo assim, o dia 10 de dezembro também é reservado para a entrega do Prêmio Nobel da Paz. A vencedora deste ano foi a Campanha Internacional para Abolição das Armas Nucleares, sigla em inglês ICAN. A escolha foi uma resposta estratégica à ameaça de uma guerra nuclear entre Estados Unidos e a Coreia do Norte, que anunciou ter construído a bomba H, de hidrogênio, com alta capacidade de destruição. O Ican é uma coalizão de grupos não governamentais presente em mais de 100 países. O professor brasileiro da Universidade Federal do Pampa (Rio Grande do Sul), Cristian Wittmann faz parte do comitê gestor da Ican e vai estar em Oslo, Noruega, onde será a entrega do Prêmio. 

 

 Apesar dos muitos problemas que o Brasil enfrenta no momento, desde o político até ele próprio em sua última instância, o problema social, existem muitos brasileros pelo país afora, tentando compensar com solidariedade a falta do cumprimento dos direitos humanos essenciais. Luiz Gabriel Tiago é um deles e por isso é um dos indicados ao Prêmio Nobel da Paz de 2018. Entre outras ações solidárias, o projeto Pontinho de Luz do Sr. Gentileza, como ficou conhecido, já entregou mais de 500 toneladas em alimento, água potável, roupas, fralda infantil e geriátrica, brinquedos, remédio e atenção, em regiões de alta vulnerabilidade social e abandono do poder público. Os pontinhos de luz estão espalhados pelo Brasil, Paraguai, Uruguai, Austrália, Canadá, Espanha, Irlanda e Argentina. Por aqui, os maiores grupos estão no Rio de Janeiro e São Paulo, onde acontecem mais turmas de adesão.

 

 A promoção dos Direitos Humanos é essencial para um sistema democrático. Os Direitos Humanos devem ser garantidos universalmente à pessoas de todos os povos e nações, independentemente da classe social, etnia, gênero, nacionalidade ou posicionamento político. Quando os Direitos Humanos não são plenamente usufruídos, desencadeia-se um desequilíbrio no sistema social que compromete o desempenho saudável da cidadania. Em uma sociedade sustentável, o exercício cívico pleno e responsável é um dos pilares para o bem comum da comunidade. Para isso, foram adotados à agenda da ONU, 17 ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) a serem cumpridos nos próximos 15 anos. As metas têm como fim, em geral, a proteção do bem-estar dos indivíduos e do futuro destes, ou seja, do meio ambiente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Please reload

Voltar para o início