Please reload

GUARDIANS OF THE FOREST NA COP23

29 Nov 2017

 

 Durante a COP23, que ocorreu entre os dias 6 e 17 de novembro, teve muita visibilidade a potência dos povos indígenas enquanto guardiões do meio ambiente, da natureza e dos seus territórios. Territórios esses que comparados às demais terras públicas são sempre mais preservados. Líderes indígenas de várias partes do mundo como Amazônia, Mesoamerica, Ásia e África, participaram da conferência para cobrar a continuidade da demarcação de terras indígenas, e o respeito dos direitos de povos indígenas, de modo que sejam mais severas as penas para ecocídio. Essas lideranças assumiram que são ameaçadas 24 horas por dia por protegerem a natureza com suas próprias vidas e pediram que seja de fato cumprido o programa de defesa de direitos humanos e o simples direito à vida. Em 2016, 40% dos líderes ambientais mortos eram índios.

 

 "Precisamos que parem de matar nossos líderes, que parem de nos criminalizar, muitos índios foram parar atrás das grades apenas por proteger seus meios de subsistência e seus territórios". Declarou a líder indígena brasileira Patricia Juruna durante a conferência.

 

 Uma das melhores formas de combater as mudanças climáticas é apoiar os povos indígenas em seus esforços para proteger e cuidar das florestas. Comunidades indígenas e locais lutam para proteger florestas tropicais ameaçadas pela exploração de madeira e mineração, extração de óleo, invasão de terra, tráfico de drogas, monocultura, construção de usinas hidrelétricas, além de outras formas de extração e projetos de mega infraestrutura, que não respeitam os direitos indígenas e ameaçam destruir a última grande floresta do planeta, essencial para o equilíbrio do clima. A proteção desses recursos tão explorados faz parte da contribuição indígena para a atenuação da drástica mudança climática e realização dos objetivos estabelecidos no Acordo de Paris.

 

 Esse legado de importância dos índios como parte complementar e suplementar do meio ambiente deve ser perpetuado por nós. Primeiro porque eles representam a história das origens do Brasil e segundo, porque eles também significam o futuro do país e do planeta. Assista ao vídeo da líder indígena brasileira Patricia Juruna na COP23 clicando aqui e inspire seus amigos, familiares e colegas de trabalho, a também cuidar e proteger a natureza. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Please reload

Voltar para o início