Please reload

5 DOCUMENTÁRIOS INDICADOS PELA ONU

9 Nov 2017

 

 

 

 

Baía Urbana

 

O documentário Baía Urbana do biólogo e cineasta brasileiro Ricardo Gomes, mostra a rica biodiversidade  que habita as águas de um dos mais importantes pontos turísticos do Rio de Janeiro. O longa foi lançado dia 7 de junho em Nova York, durante a primeira Conferência da ONU sobre Oceanos. Ricardo Gomes se sentiu motivado a começar o projeto depois das duras críticas da mídia internacional à Baia durante os Jogos Olímpicos  de 2016. Foi quando concluiu que se as pessoas vissem a vida marinha resiliente na Baía de Guanabara, parariam de tratá-la como um depósito de lixo.

 

 

 Plástico como ameaça ao meio ambiente

 

Durante a Conferência da ONU sobre Oceanos, que aconteceu entre os dias  5 e 9 de junho de 2017,  em Nova York, um mini-documentário sobre o plástico como ameaça ao meio ambiente foi publicado no próprio canal da Organização das Nações Unidas no Brasil. O intuito tanto da conferência quanto do curto documentário, de menos de 10 minutos é cumprir o Objetivo 14 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Nações Unidas: conservar e utilizar de forma sustentável os oceanos, os mares e os recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

 

 

Fonte da juventude

 

O Centro RIO+ da ONU exibiu dia 5 de outubro, no Palácio do Itamaraty, Rio de Janeiro, o documentário Fonte da juventude,  sobre biodiversidade e alimentação saudável, lançado em janeiro desse ano.  O longa aborda exemplos de como a biodiversidade pode ser combinada ao resgate da identidade cultural alimentar brasileira. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil, assim como outros países em desenvolvimento, passa por uma transição. Ao mesmo tempo em que se observa uma redução contínua dos casos de desnutrição, são registradas prevalências crescentes de excesso de peso.  Estevão Ciavatta, diretor do filme, apresenta a biodiversidade como a chave para conhecermos os segredos da Fonte da Juventude.

 

 

#BXD – Baixada Nunca Se Rende

 

O documentário “#BXD – Baixada Nunca Se Rende”, produzido pelo italiano Christian Tragni e pela brasileira Juliana Spinola foi lançado dia 17 de maio desse ano. O filme conta como a música pode ser uma poderosa ferramenta para incentivar a mudança e engajar a sociedade. Com a parceria junto à "Baixada Nunca Se Rende", o Centro RIO+ das Nações Unidas espera apresentar ao mundo um modelo de difusão dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da agenda da ONU para 2030.

 

 

 Kaiowá: Pelo Direito de Viver no Tekoha

 

Foi lançado no dia 12 de setembro o Documentário que marca 10 anos da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas. O documentário Guarani e Kaiowá: Pelo Direito de Viver no Tekoha foi gravado em aldeias indígenas do Centro-Oeste do país. O documento reconhece a necessidade de respeitar e promover os povos indígenas e prevê, entre outras coisas, que eles não serão removidos à força de suas terras e têm o direito de manter suas culturas. O documentário, com cerca de 20 minutos, foi filmado em aldeias indígenas de Mato Grosso do Sul, onde a questão das terras ainda é um desafio a ser superado 

 

 

Share on Facebook
Please reload

Voltar para o início